BlogIntrodução aos Princípios Arquitetônicos

Princípios Arquitetônicos

Analisar um ambiente parece algo simples: paredes, objetos, cores e texturas. Mas para os profissionais que trabalham com o espaço, esta é uma tarefa bem mais complexa: planos, superfícies, formas, escalas, texturas, cores.... O objetivo deste texto não é explicar todo o assunto, até porque seria longo, mas sim permitir uma compreensão maior do trabalho do profissional da construção e da decoração e sua importância. Quem gosta de se aventurar neste campo, para ter sucesso, deve dominar estes princípios.

Arte

A arte está diretamente relacionada à expressão, sendo algo sensorial. Através dela sentimos, indagamos, analisamos e conhecemos o mundo à nossa volta. Ela é a maneira pela qual o homem expressa suas ideias e pensamentos e faz com que os demais sintam o que se passa por dentro de sua mente e de seus sentimentos. Cada período da história apresentou uma arte com características próprias: no período clássico imitava-se a natureza, durante o período medieval foi muito utilizada pela religião (igrejas) e já foi e ainda é utilizada para expressar prazer ou fenômenos sociais.

Arquitetura

A Arquitetura é considerada uma arte. Através dela o ser humano representa épocas, permite mudanças e faz releituras de situações. Ela permite ver o espaço de maneira articulada e trabalhar seus elementos para criar sensações, agindo diretamente no íntimo do usuário daquele espaço. Exatamente por isso tem responsabilidade social e funciona como uma ferramenta de leitura, análise e construção de ambientes que serão vividos e que abrigarão relações pessoais em seu interior (isso explica a importância do arquiteto na sociedade) - Leia também: Arquitetura: Qualidade de Vida

O “Espaço”

O homem habita e estabelece relações com o espaço: dentro/fora, longe/perto, separado/unido. A maneira como entendemos este espaço depende de nossas vivências. Assim se somos pedestres, vemos a cidade de certa maneira, mas se somos motoristas, temos outra visão. O espaço é determinado por alguns elementos:

  • Verticais: estas formas são mais ativas e delimitam bem o espaço criando a sensação de fechamento;
  • Horizontais: são elementos mais tranquilos e marcam principalmente planos.

1) Primeiro temos um plano determinando um espaço acima e abaixo dele (podemos chamá-lo de plano base); 2) Quatro elementos verticais criam uma tensão entre eles gerando a sensação de que há um espaço no seu interior; 3) Um plano sobre o plano base cria um espaço à sua frente; 4) Dois planos sobre o plano base criam um espaço que direciona para a direita; 5) Dois planos paralelos criam um corredor entre eles, assim como a sensação de circulação; 6) Três planos sobre o plano base geram um espaço com apenas um lado aberto; 7) Quatro planos sobre o plano base criam um “cômodo” que visto de cima mostra-se fechado e protegido, apenas com sua parte superior livre.

Características do Espaço Arquitetônico

O espaço possui:

  • Tamanho (comprimento, largura, profundidade);
  • Forma, que é seu contorno (formas geométricas como o cubo, o círculo, o prisma, o triângulo...);
  • Cor (resultado da incidência de luz) e textura (principalmente é algo tátil e interfere na maneira como o objeto reflete ou absorve a luz que incide sobre ele);

A maneira como são distribuídos e organizados, geram sensações e organizam o dia-a-dia do ser humano.

Estes objetos podem ser posicionados de diferentes maneiras, orientações e de acordo com isso pode ser inerte ou criar a sensação de que é instável.

Neste exemplo, um cubo está apoiado no plano (inerte) enquanto o outro se equilibra sobre um de seus vértices (gera a sensação de instabilidade, parecendo que irá cair).

Aberturas

As aberturas são responsáveis por determinar os acessos e circulações, ou seja, o uso daquele determinado espaço. As portas permitem o acesso direto, enquanto as janelas favorecem não só as entradas de luz e de ventilação como também estabelecem relações visuais unindo os espaços contíguos (vizinhos). A maneira como sentimos os ambientes depende das características destas aberturas.

Beleza

Definir o que é belo é uma questão filosófica que perdura há muitos séculos. Mas no geral, algo se torna belo em função de:

  • Sua forma (linhas, superfícies, volume, cor, luz, texturas);
  • Seus detalhes (harmonia, contraste, continuidade);
  • Sua funcionalidade;
  • Por ser inovadora (releitura);
  • Por possuir significado (identificação com os usuários).

Elementos

Podemos reunir as diversas formas criando continuidade (uma ao lado da outra de maneira linear), articulá-las, fazer uma penetrar na outra. Podem ainda ser apenas uma unidade ou ainda ser a reunião de várias.

É possível estudar muitas maneiras de ver estes objetos combinados. Abaixo segue um exemplo visual.

Exemplos de Arquitetura

Após mostrar alguns elementos, podemos observá-los na prática! Identifique-os nas imagens abaixo. Os dois arquitetos selecionados possuem linguagem bem diferentes, Frank Gehry trabalha com formas que transmitem inconstância, já Frank Lloyd Wright trabalha planos e materiais mais harmoniosos e que transmitem tranquilidade e harmonia.

Conclusão

Através da arte podemos expressar o que sentimos. Existem muitos tipos de arte e uma delas é a arquitetura. Através desta o arquiteto analisa as formas, superfícies, planos, arestas e todos os elementos que compõe o espaço, permitindo que sua reunião transmita ideias e conceitos. Seja em pequenos ambientes seja em cidades, a distribuição dos elementos definem sensações e norteiam atitudes. Geram ação ou inércia (verticalidade/cores fortes ou horizontalidade/cores neutras respectivamente), definem percursos ao estabelecer caminhos como corredores e calçadas, enaltecem edifícios ou ainda podem criar locais desagradáveis caso seja a intenção. Usamos estes elementos em tudo: ao criar pórticos para marcar acessos, ao criar escadas para subir ou descer, ao escolher as cores das paredes e dos objetos. O espaço criado por cada um reflete a leitura que possui da realidade. Expõe sua personalidade e diz muito sobre quem é (passado, presente e futuro). O ambiente pode influenciar positivamente ou negativamente as pessoas (confira o artigo Ambiente e Saúde). Pode ajudar a vender mais, a trazer mais prazer para o dia-a-dia, fortalecer laços pessoais, favorecer a boa saúde - para saber mais, conheça os princípios divulgados pelo Feng Shui. O importante é perceber o espaço e trabalhar corretamente seus elementos em função de quais objetivos se quer atingir.

Saiba mais

Você também poderá buscar mais informações através de cursos e livros sobre o assunto:

Pesquise preços noBuscapé: Arquitetura, Forma, Espaço e Ordem

Fontes Consultadas e Indicadas

  • CHING, Francis D. K. Arquitetura, Forma, Espaço e Ordem. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
  • Great Buildings Collection.  Acesso em: outubro, 2009.

Fonte: Clique Arquitetura | http://www.cliquearquitetura.com.br/portal/dicas/view/introducao-aos-principios-arquitetonicos/22

Artigos Relacionados

  • Paredes de Vidro – Vantagens e Desvantagens

    Paredes de Vidro – Vantagens e Desvantagens

    Grandes aberturas de vidro são ótimas para integrar os espaços, especialmente os ambientes externos com os internos, e mantêm o visual leve. Mas existem alguns inconvenientes que podem ser amenizados com soluções simples...

  • Estantes de TV

    Estantes de TV

    Criar uma estante de tv bonita não é uma tarefa muito fácil, principalmente se são muitos aparelhos na parte inferior. Um detalhe que costumo chamar a atenção é: cuidado ao embutir a tv, ou deixar um nicho exatamente do tamanho dela, hoje em dia as televisões mudam com muita rapidez e os tamanhos variam bastante, então no caso de aparelhos embutidos, a mudança pode ser trabalhosa ou até inviável.

  • Home Theaters enxutos

    Home Theaters enxutos

    Ver filme, assistir aos seriados favoritos ou até reunir os amigos para jogar videogame. Precisa de um grande espaço para tudo isso? Veja nos cinco projetos selecionados pela Revista Casa e Jardim, onde ideias criativas (e com bossa!) têm tudo a ver com o ambiente da TV.

  • PERFIL: Zaha Hadid

    PERFIL: Zaha Hadid

    Dame Zaha Mohammad Hadid é uma arquiteta iraquiana que atualmente vive em Londres. Formou-se em Matemática antes de estudar Arquitetura. Foi a primeira mulher a receber o prêmio Pritzker, em 2004 pelo conjunto de sua obra.

  • Custo/Benefício

    Custo/Benefício

    Quais os custos e os benefícios da contratação de um profissional especializado para sua obra/reforma? Planejamento = economia (colocar no papel tudo o que será realizado permite prever futuros problemas e corrigi-los, permite ver como ficará em planta, elevação e perspectivas o que se imaginou e assim descobrir se o resultado será o esperado, antes de se iniciar a obra)...