BlogRevitalização urbana através do manejo sustentável do lixo

A série “Building Tomorrow”, transmitida pela rede britânica BBC trata de diversos assuntos sobre as soluções tecnológicas que têm sido aplicadas nas cidades, a influência que estes espaços urbanos exercem nas pessoas e nos desafios ambientais que seus habitantes terão que enfrentar nos próximos anos e que seus efeitos já estão presentes em certos lugares do planeta.

Em um dos capítulos o arquiteto estadunidense Mitchell Joachim abordou o tema do lixo a partir da perspectiva que este tem aumentado nas cidades desde que se converteram – no começo do século XIX – no principal cenário da industrialização, e por isso, atraíram milhares de pessoas. Por conta disso e pelos efeitos atuais do lixo nas cidades, propôs criar uma estratégia sustentável para melhorar a gestão dos resíduos e que poderiam ser utilizados na construção de novas paisagens urbanas que seriam parte das cidades do futuro.

As pautas de consumo – sustentadas na prática de ‘utilizar e descartar’ – e a falta de uma visão de longo prazo podem ser considerados dois dos fatores que levaram às cidades o problema do lixo que enfrentam dia a dia. Isto se torna evidente quando vemos que o planeta acaba de alcançar a cifra de 400 partes por milhão de níveis de CO2, níveis que não trazem motivo de orgulho. Para ter uma ideia da rapidez que aumentam as quantidades de lixo no mundo, Joachim explica que os Estados Unidos são o principal gerador de lixo no mundo, onde cada cidadão produz ¾ de uma tonelada de lixo em apenas um ano. Só em Nova York são produzidos algo em torno de 33.000 toneladas de resíduos por dia e, com o papel que se gasta a cada duas semanas, pode-se preencher o edifício do Empire State.

1376679313_05

Edifício Empire State. Image © roger4336, Flickr

Na china, a urbanização tem aumentando juntamente com o incremento de resíduos – estes crescem cerca de 6% ao ano. Na América do Sul, especialmente no Brasil, o panorama não é muito animador, já que os aterros sanitários estão recebendo anualmente 10% a mais de lixo oriundo das cidades. A índia espera um aumento na quantidade de lixo eletrônico preocupante – estima-se que aumentem cerca de 500% nos próximos anos, material oriundo sobretudo de aparelhos celulares, televisores e refrigeradores.

1376678095_02

Courtesy of harmonyfdn.ca

O arquiteto e urbanista também explica que hoje em dia a má gestão dos resíduos em aterros e outros depósitos de lixo são o principal ponto de contaminação das regiões fora dos limites urbanos. Com o objetivo de reduzir as cifras e melhorar o manejo do lixo nas cidades, Joachin defende que o ideal seria enfrentar o problema a partir de duas perspectivas. A primeira seria dentro dos centros e produção e tem como objetivo que as empresas etiquetem seus produtos especificando seu ciclo de vida. Assim, os produtos que não têm a opção de estender sua vida útil – ou com obsolescência programada – deveriam alertar para este fato nas embalagens, e aqueles que têm essa opção, poderiam incluir ideias em que poderiam utilizar parte dos materiais. Desta forma, poderia constar nas garrafas PET que estas podem ser reutilizadas como acessórios de iluminação e vasos de planta nas paredes.

1376678795_03

Courtesy of decoesfera.com

A segunda perspectiva consiste que as cidades que possuem usinas de incineração que utilizam o lixo como gerador de energia, como na Suécia, criem programas para que as pessoas possam visitar essas usinas, aumentando a consciência sobre o potencial que do lixo, assim como acontece no Parque Hiriya, em Israel. A idea de Joachim propõe que quando o lixo for acumulado e prensado, este se transforme em cubos ou outras formas, para que,então, sirva para construir novas estruturas.

1376677567_00

Courtesy of bbc.com

Além disto, o arquiteto acredita que os restos de embarcações poderiam ser utilizados na construção de zonas de amortecimento em orlas costeiras que tendem a ser afetadas por desastres naturais.

1376677613_01

Courtesy of bbc.com

Texto original por Constanza Martínez Gaete, via Plataforma Urbana. Tradução Gabriel Pedrotti, ArchDaily Brasil.

Fonte: ArchDaily Brasil

 

Artigos Relacionados

  • Personalidade Destaque 2012

    Personalidade Destaque 2012

    Certificado PERSONALIDADE DESTAQUE 2012, concedido ao Arquiteto Eduardo Bevilacqua. Homenagem realizada no evento Empresas Vale Destaque 2012

  • PERFIL: Frank Gehry

    PERFIL: Frank Gehry

    Frank Gehry é um arquiteto canadense. Hoje vive em Los Angeles, cidade que, de certo modo, pela sua efemeridade e individualidade, reflete a forma do arquiteto fazer a arquitetura. Para Gehry o fundamental no projeto é seu programa.

  • Risque e rabisque pelas paredes à vontade

    Risque e rabisque pelas paredes à vontade

    Imagine só poder rabiscar em qualquer superfície lisa e poder apagar tudo apenas com um pano? A quantidade de papeis e lousas diminuíriam significativamente, e consequentemente, a quantidade de lixo também. Além da possibilidade das crianças poderem abusar da criatividade rabiscando as paredes de casa à vontade.

  • Como gerir empreiteiros

    Como gerir empreiteiros

    Houve um tempo em que as construtoras trabalhavam quase que exclusivamente com mão de obra própria. Mas isso ficou para trás com a descoberta de que subcontratar poderia não só trazer economia, como também minimizar dores de cabeça com encargos trabalhistas e com a desmobilização do pessoal ao término das obras. Hoje, muitas construtoras preferem atuar na função de planejadoras e gerenciadoras da produção, apoiadas por empresas prestadoras de serviços.

  • Feliz Aniversário Zaha Hadid!

    Feliz Aniversário Zaha Hadid!

    Zaha Hadid completa 63 anos hoje, e a arquiteta tem muito o que comemorar. Desde que ganhou o Prêmio Pritzker em 2004, a primeira mulher (e muçulmana) a receber o prêmio, a carreira de Hadid tem apresentado uma trajetória exponencial.